domingo, 18 de novembro de 2018

Encontrada a estudante Fabricianense que morreu nas águas em Arroyo Ensenada, na Argentina



A estudante fabricianense Kerlyn Alves Loura Menezes, de 18 anos, aluna da Universidad Adventista del Plata, na Argentina participava de atividades esportivas em Arroyo Ensenada de San Martin neste sábado quando desapareceu nas águas.

A Universidade Adventista del Plata -UAP- informou que as buscas começaram ainda na

tarde deste sábado com participação da Policía, Bombeiros Voluntarios e tácticos móveis.

Kerlyn, estava com outros estudantes na enseada realizando  atividades ao ar livre quando
Enseada de Sã Martin, Argentina
pulou nas águas para salvar duas crianças. As duas crianças foram salvas mas Kerlyn foi puxada pela correnteza das águas. O fato ocorreu aproximadamente 16:45, de ontem, sábado. (com informações do jornal "El Diário" de Buenos Aires).


CORPO FOI ENCONTRADO

O corpo da jovem Kerlyn foi encontrado pela equipe de buscas no final da tarde de hoje, domingo, 18/11. 

COMUNICADO DA UNIVERSIDADE


La Universidad Adventista del Plata comunica con profundo dolor que fue encontrado el cuerpo sin vida de la joven Kerlyn Alves Loura Menezes, quien se encontraba desaparecida desde el sábado, en aguas del arroyo La Ensenada, en la zona conocida como Los Arenales, cercano al Puente Negro.

Bolsonaro volta a dizer que médicos cubanos são escravos da ditadura

O presidente eleito Jair Bolsonaro voltou a afirmar hoje (18) que Cuba submete seus profissionais, vinculados ao programa Mais Médicos, a uma situação de “trabalho análogo a escravidão”. Ele também afirmou que alguns prefeitos, que reclamam da saída dos cubanos, querem se eximir de responsabilidades.

“A prefeitura mandou embora seu médico para pegar um cubano. Quer ficar livre da responsabilidade. A Saúde [municipal] também tem sua responsabilidade”, afirmou Bolsonaro, que foi à Arena Carioca 1, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro acompanhar as finais do evento de Jiu-Jitsu Abu Dhabi Grand Slam Rio.

Bolsonaro acrescentou que ainda não é o presidente, mas que “dia 1º vamos apresentar [uma solução para a saída dos médicos cubanos]. Não podemos admitir escravos cubanos no Brasil nem continuar alimentando a ditadura cubana também”.

O presidente eleito reiterou o que disse há dois dias, lembrando que muitos cubanos deixam para trás as famílias, pois não podem trazê-las para o Brasil e são obrigados a repassar 70% dos salários para o governo de Cuba.

Reações

A Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) divulgou nota neste domingo alertando sobre o

impacto da saída dos médicos cubanos. O grupo cita a presença dos profissionais em 2,8 mil municípios e destaca que em 611 municípios todos os médicos atuantes eram cubanos.

De acordo com a entidade, as dificuldades de lotação e fixação de médicos em áreas de difícil acesso ou de alta vulnerabilidade social é um problema histórico e estrutural do sistema de saúde brasileiro que começou a melhorar em 1994, com a implantação da Estratégia Saúde da Família (ESF) e, especialmente em 2013, quando foi criado Programa Mais Médicos para o Brasil (PMMB).

opinião

Bolsonaro tem razão quando diz que as prefeituras se aproveitaram dos médicos cubanos para se livrar da responsabilidade. É dever das prefeituras manter médicos nos postos de saúde e hospitais muicipais.  

Outro detalhe: Com todo respeito so médicos, mas é difícil achar um que queira ir para uma cidade de interior para trabalhar. A solução virá, menos mandar nosso dinheiro para Cuba alimentando corruptos. A FESTA ACABOU.


Mais visitadas